Tag Archives: Igreja

É TEMPO DE RECONSTRUÇÃO!!

reconstrução A cada ano que passa temos presenciando uma "tempestade" de grandes acontecimentos desagradáveis na sociedade. Muitas pessoas têm sido atingidas pela violência que rodeia nossas famílias e o choro dos que sofrem tem constituído um coro de lamentações. Será que esse dissabor não tem fim? Será que o sofrimento está marcando um estágio permanente de nossas vidas numa sociedade que subsiste amortecido pelo dissabor da violência e descaso? Davi ao escrever o salmo 30, nos mostra que sempre há esperança para os que passam pelos infortúnios da vida.  Percebemos então que depois da tempestade vem a bonança, depois do sofrimento, a felicidade, depois do choro a alegria. Poderíamos afirmar, portanto, que sempre há o momento de reconstrução, de restauração, de retomada do curso normal de nossas vidas. Talvez ao ler estas palavras você possa lembrar de acontecimentos desagradáveis que tenha passado. Ou talvez esteja vivenciando um período árido da vida. Uma dificuldade de relacionamento na família ou uma luta pessoal que precisa ser vencida. Diante de tudo isto uma certeza temos: ainda que vivamos a desventura momentânea, o tempo de grandes alegrias está para chegar. Portanto, continue lutando, depositando em Deus as tuas esperanças visto que o tempo de reconstrução está perto. E não esqueça: "a alegria vem pela manhã." Que Deus te abençoe!   Pr. Éverton B. Pereira Pr. da Igreja Presbiteriana do Brasil. Sapiranga. IPB, Desde 1859 orientando para a vida!

MISSÃO INTEGRAL DE DEUS

  A ideia de missões se acha em vários lugares na Bíblia.  Um exemplo disso é Genesis 12.3: “Em ti serão benditos todas as famílias da terra.” E em Salmo 96.10 está escrito, “Dizei entre as nações: Reina o Senhor! Ele firmou o mundo para que não se abale e julga as pessoas com equidade. ”Salmos 117.1, Isaias 49.7, Isaías 56.7 e Mateus 28.19-20 são um pouco das muitas referências sobre o aspecto missiológico do Reino de Deus. Mas a pratica de missões transculturais foi iniciada em Antioquia de Síria.  Esta pratica de missões está registrado em Atos 11.19-30 e Atos 12.24-25 e Atos 13.1-4.  Vamos examinar e ver as quatro coisas que aconteceram na Igreja de Antioquia pela “primeira vez” (pelo menos é a primeira vez que está registrada nas Escrituras). Na Igreja de Antioquia foi a primeira vez que os crentes evangelizaram um povo diferente. Deliberadamente tentaram comunicar o Evangelho às pessoas que não eram da raça e cultura judaica.  Em 11. 20 disse que, “...falavam também aos gregos, anunciando-lhes o evangelho do Senhor Jesus”.  Estes irmãos travessaram as barreiras de língua e cultura proclamando a verdade a um novo grupo de pessoas muito diferente dos Judeus. Na Igreja de Antioquia foi a primeira vez que os discípulos de Jesus foram chamados cristãos (11.26) Este povo se destacou por seu comportamento assumido.  Vestiram a camiseta de Cristo.  Não viveram isolados. Identificaram-se como diferentes dos outros, mas ainda eram ativos na cultura de Antioquia.  Assim a Igreja de Antioquia cresceu com muitos Judeus e muitos Gregos. Na Igreja de Antioquia pela primeira vez uma Igreja enviou socorro à outra Igreja (11.29-30).  Antioquia mandou socorro aos irmãos em Jerusalém.  Este ato mostra sua preocupação com as necessidades dos irmãos Judeus. É evidência da união dos cristãos, mesmo com língua e cultura diferente. Na Igreja de Antioquia, foi escolhida a primeira equipe de missionários para serem enviados a pregar o Evangelho em outros lugares (13.1-4). Assim, fazendo como Jesus fez em Marcos 1.38-39.  Em verdade foi o Espirito Santo que separou Barnabé e Saulo entre os profetas e mestres.  Eles foram designados os líderes da missão a Ásia (que hoje é o país Turquia). As lições para a Igreja hoje: Missões começam com nosso desejo de proclamar a verdade de Deus aos nossos vizinhos, mesmo aqueles que são diferentes de nós. Se nós assumirmos o fato de sermos servidores de Cristo, o mundo vai notar, tanto com zombarias quanto com aprovação. Os vizinhos vão reagir. Não existe separação entre a pregação e a compaixão.  A pessoa com o apelido de Cristão tem também a paixão de ajudar os necessitados. Examinando as Escrituras e refletindo sobre as ações da Igreja de Antioquia nosso coração começa a ser provocado com o desejo de ser obediente ao Salmo 96.10 e a Mateus 28.19-20 disponibilizando-nos para anunciar a Palavra de Deus para as nações. Mas eu lhe recomendo: Cuidado!  A ideia de missões é explosiva!  Você também pode ficar apaixonada por esta divina ideia! Pastor Henry M. Haswell, Jr.  

Onde está o tesouro da tua vida?

tesouros do coração Blog Ips(Mt 6.19-21) O que vem a sua mente quando você ouve a palavra “tesouro”? Um baú escondido? Algo de grande valor sentimental? Objeto de atenção e cuidado? Cristo em seu ministério, certa vez observando grande multidão que o seguia, resolve subir a um alto monte e dali passa a ensinar princípios para toda a vida. Percebendo o erro nas atitudes dos homens ele resolve conduzir o ser humano a uma jornada reflectiva rumo ao tesouro de cada um. Tratando do que poderia ser o tesouro mais valioso de cada indivíduo ele apresenta duas possibilidades para a guarda de tão valioso pertence. 1°) alguém poderia escolher guardar seu tesouro sobre a terra; 2°) alguém poderia escolher guardar seu tesouro no céu. Qual lugar te parece mais seguro? Façamos algumas ponderações: 1°) Guardar o tesouro na terra. Esta não parece ser a melhor opção. Embora muitas pessoas trabalhem arduamente para juntar riquezas neste mundo, as palavras de Cristo são bastantes claras: “Não acumuleis (...) tesouro sobre a terra”. Pesa contra a busca da riqueza com fim egoísta a proibição clara de Deus. O Senhor não é contra a riqueza em si, mas sim, contra a riqueza que é buscada com a motivação egoísta. A expressão de Mt 6.19 “sobre a terra” caracteriza a referida riqueza como algo pecaminoso. Portanto Deus proíbe tal comportamento. Riqueza sobre a terra é perecível. A traça e a ferrugem a consomem; minam e tiram o brilho “afugentando” seu valor. A riqueza que é buscada com um fim egoísta é frágil de mais. Podemos lembrar grandes reinos que surgiram, se engrandeceram e não permaneceram: egípcios, persas, babilônicos, gregos e etc. Definitivamente riquezas sobre a terra não duram, são perecíveis. Além disso, toda riqueza sobre a terra é inseguro: “Ladrões escavam e roubam”. Não é possível ter tranquilidade e sentir segurança com grandes valores num mundo onde por tão pouco se comete barbaridades contra a vida. Embora tudo isto seja verdades nos perguntamos: Como é possível o coração humano desejar sempre e cada vez mais, acumular riquezas sobre a terra desprezando a verdadeira riqueza que traz paz ao coração? A segunda possibilidade que Cristo nos apresenta quanto a guarda da riqueza é: 2°) Guardar o tesouro no céu. É o desejo de Deus para nossa vida. É a ordem do Senhor. O criador, conhecedor de todas as coisas e dono de tudo sabe o que é melhor para nós. O desejo dele sempre é o melhor a seguir. Quando Cristo ordena “ajuntai (...) tesouros no céu” ele está também caracterizando o tipo de riqueza que de fato devemos desejar, buscar e adquirir. Está riqueza é de conformidade aos princípios de Deus. De acordo com a passagem do jovem rico que vai ao encontro de Cristo ansiando pela salvação podemos perceber que nos princípios de Deus para a verdadeira riqueza inclui a vida coletiva. Deus exige de nós que vivamos de modo a considerar nosso semelhante a fim de lhe estender a mão sempre que for preciso (Mt 19.21). A busca de tal riqueza deve ser exercício de cada um de nós. Um tesouro celestial é permanente. Não se perde, nem nos é tirado. Além disso, embora venhamos a desfrutar parcialmente desta riqueza ainda nesta vida, grande parte dela está oculta em Deus como herança a ser recebida na glória (1Pe 1-3-5). Um tesouro celestial é seguro. Ele não se transforma, não perde seu valor jamais, é firme e invariável. Quando nosso tesouro está em deus podemos ficar seguros. Finalmente, Cristo nos mostra que o coração humano é a bússola para identificar onde está o tesouro pelo qual temos nos dedicado. Ele afirma: “porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.” (Mateus 6:21 RA). Nosso coração sempre estará envolvido com aquilo que damos maior valor. Sempre o ser humano investirá toda a sua dedicação naquilo que julga ser de grande importância. Podemos saber o que é correto. Podemos entender o que Deus espera que façamos. Mas no final das contas, na prática o lugar em que está o nosso coração é que vai revelar se nosso tesouro está nos prazeres deste mundo ou encharcado com os princípios de Deus para vida. Em que você tem investido seu tempo? Em que você tem dedicado o seu esforço? Com quem você tem se envolvido? A resposta a estas perguntas ajudarão você a descobrir qual de fato é o teu tesouro e onde ele está sendo guardado. Lembre-se: aquilo que o ser humano tem por mais valioso, é aí que dedicará sua atenção e esforço. Deus te abençoe. Pr. Éverton B. Pereira