Author Archives: ips-admin

“Como Andar em Cristo”

Como Andar em Cristo “Nossa estrada é uma pessoa... e nome dela é Jesus” Gosto muito da frase acima. Ela me faz pensar na maneira como devemos viver o cristianismo. Caminhar em Cristo significa agir como Cristo agiu. No entanto em nossos Dias, com tantos problemas que nos cercam e tantas limitações que possuímos como podemos agir semelhante a cristo? Como andar em Cristo? É exatamente isto que Paulo - um dos maiores missionários de todos os tempos - está respondendo aos cristãos da cidade de colossos. No Capítulo dois da sua carta ele exorta os leitores da seguinte maneira: “Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele, nele radicados, e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruídos, crescendo em ações de graças.” (Colossenses 2:6-7 ) A palavra de Deus, pregada por Paulo aos colossenses, de uma maneira muito didática nos mostra que de fato podemos seguir o exemplo de Jesus se estivermos enraizados e edificados nele. Analisemos então o que Deus deseja nos mostrar através deste texto sagrado: Em primeiro lugar, “ENRAIZADOS (radicados) EM CRISTO”: Em várias partes da escritura o povo de Deus é comparado a arvores. Às vezes estas referências correspondem a resistência, outras vezes a seu vigor e em outros casos ao dar frutos. Carvalhos, Cedros, e ramos de Videira são alguns destes exemplos. Em todos estes casos o vigor e a resistência estão relacionado ao permanecer unido a Deus num relacionamento muito pessoal. Do mesmo modo devemos nos fortalecer de Cristo, devemos nos “alimentar” de Cristo. Praticar os mesmos princípios que Jesus praticou. Estando “enraizados” em Jesus não somente teremos o vigor para vida como também daremos o fruto que se espera de um cristão (Gl 5.22-23). Você está enraizado em Cristo? Tem buscado os princípios de Jesus? Lembre-se se você já conhece a Jesus Cristo você deve se dedicar a viver como Ele viveu. Em segundo lugar, “EDIFICADOS EM CRISTO”: a nossa vida deve ser alicerçada sobre o fundamento seguro que é a Rocha Eterna, Cristo Jesus. Este fundamento não vacila, antes pelo contrário, permanece sempre firme. Em todas as circunstâncias podemos depositar sobre este sólido alicerce toda preção que enfrentamos em nosso dia-a-dia. Pedro, em sua carta, afirma que somos como pedras de uma construção divina feita pelo SENHOR (1Pedro 2:5 RA). Somos pedras que vivem! Em outras palavras, devemos repousar em Cristo que é o nosso fundamento. Devemos lançar sobre cristo toda nossa vida, toda nossa confiança e toda nossa ansiedade. Somente então podemos ser “CONFIRMADOS NA FÉ”. E a que Paulo se referia ao afirmar que deveríamos caminhar assim? Bem, esta expressão se refere a confirmação pública de estar “radicados” e “edificados” em Cristo. Uma vez que você esteja seguindo os princípios de Cristo e descansando a sua vida em Jesus, isso deve ser notório aos que estão a tua volta. A fé em Jesus precisa ser visível. A confiança ao ponto de descansar em Cristo quando tudo está parecendo difícil e complicado precisa ser perceptível. Lembre-se do que Tiago escreveu: “a fé sem obras é morta”, ou seja, estar enraizado e alicerçado em Cristo numa comunhão profundamente pessoal que desfruta da confiança nos cuidados Divinos sem que seja perceptível às pessoas a sua volta é completamente nula e inexistente. Se com nossa boca afirmamos ter comunhão com Deus e descanso em seus cuidados, as nossas atitudes deverão confirmar nossas palavras. É dessa maneira que devemos desenvolver nossa vida cristã. É assim que verdadeiramente podemos afirmar, “estar caminhando em cristo”.  

REFUGIANDO-SE EM DEUS

refúgio em Deus FarolGostaria neste instante que você se imaginasse vivendo em um país em que o governo vai de mal a pior (Is 6.1). Imagine que seja um período em que as pessoas parecem não se preocupar umas com as outras (Is 1.15). A opressão, a injustiça e o descaso seriam situações comuns do dia-dia (Is 1.16-17). Um período em que até mesmo o povo de Deus vivesse uma vida de aparência diante dos demais. Um “faz de conta” que se busca a Deus e a vontade divina (Is 3.16-26). Um período de proeminente escravidão (Is 39.5-6). E aí eu pergunto: Como sair de uma situação como essa? E a resposta é somente uma: “SE ESCONDENDO NOS BRAÇOS DE DEUS.” ELE É MAIS GRANDIOSO QUE AS FORÇAS DESTA TERRA (Is 40.12): Se já nos parece magnífico as forças desta terra quanto mais o é as forças do Criador! Pessoas por vezes se deixam conduzir pela posição dos astros e estrelas seguindo a signos do zodíaco. Outros tantos preferem buscar orientações em seres iguais a si mesmos e se inclinam diante de estátuas. Mas somente o Criador é maior do que toda a criação e domina sobre tudo e todos (Is 40.21-22, 26). Até mesmo a cronologia da vida está nas mãos do Criador (Is 40.26). É o SENHOR que chama as estrelas e os astros para assumirem seus lugares. Os marcadores do tempo – Lua e Sol – estão ao seu comando. ELE É A ORIGEM DO VERDADEIRO SABER (Is 40.13): Os princípios para uma sociedade, a direção para a família, a orientação para uma vida feliz que transcende o que os olhos podem contemplar, só é possível se estivermos acolhidos nos braços de Deus. Ele conhece tudo sobre você. Nada lhe passa despercebido aos olhos. Sua sabedoria não tem fim! Ninguém melhor que o SENHOR é capaz de orientar a tua caminhada durante a jornada nas trevas deste mundo. Ele sabe tuas dores. Ele sabe teus medos. Ele conhece tuas angustias. E ele é o teu Criador que para resgatar-te pagou alto preço! ELE É MAIOR QUE A PRÓPRIA HUMANIDADE (Is 40.15-17): O homem se vangloria de suas conquistas. Da própria sabedoria muitas vezes dá a “Luz” a ídolos e os segue. Amplia os horizontes existente diante dos próprios olhos, cria maquinas grandiosas e outras tão pequenas de medidas monométricas que são capazes de consertar as próprias células do ser humano e diante disso tudo se julga ser superior a tudo. Mas ainda assim, somos infinitamente pequeninos diante do Criador. Somente Deus é Incomparável (Is 40.18, 25). Ele é superior a tudo e a todos. Ele tem a história nas mãos (Is 40.23-24). PORTANTO, já que nosso contexto atual parece extremamente semelhante ao do tempo o profeta Isaías, devemos trazer a mente as palavras citadas no capítulo 40 e versículos 27 à 31: Por que, pois, dizes, ó Jacó, e falas, ó Israel: O meu caminho está encoberto ao SENHOR, e o meu direito passa despercebido ao meu Deus? Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o seu entendimento. Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.” A única maneira de enfrentarmos os reveses da vida é realmente nos escondendo nos braços do Pai numa vida de comunhão com o Criador.   Deus te abençoe. Pr. Éverton de Borba Pereira.

É TEMPO DE RECONSTRUÇÃO!!

reconstrução A cada ano que passa temos presenciando uma "tempestade" de grandes acontecimentos desagradáveis na sociedade. Muitas pessoas têm sido atingidas pela violência que rodeia nossas famílias e o choro dos que sofrem tem constituído um coro de lamentações. Será que esse dissabor não tem fim? Será que o sofrimento está marcando um estágio permanente de nossas vidas numa sociedade que subsiste amortecido pelo dissabor da violência e descaso? Davi ao escrever o salmo 30, nos mostra que sempre há esperança para os que passam pelos infortúnios da vida.  Percebemos então que depois da tempestade vem a bonança, depois do sofrimento, a felicidade, depois do choro a alegria. Poderíamos afirmar, portanto, que sempre há o momento de reconstrução, de restauração, de retomada do curso normal de nossas vidas. Talvez ao ler estas palavras você possa lembrar de acontecimentos desagradáveis que tenha passado. Ou talvez esteja vivenciando um período árido da vida. Uma dificuldade de relacionamento na família ou uma luta pessoal que precisa ser vencida. Diante de tudo isto uma certeza temos: ainda que vivamos a desventura momentânea, o tempo de grandes alegrias está para chegar. Portanto, continue lutando, depositando em Deus as tuas esperanças visto que o tempo de reconstrução está perto. E não esqueça: "a alegria vem pela manhã." Que Deus te abençoe!   Pr. Éverton B. Pereira Pr. da Igreja Presbiteriana do Brasil. Sapiranga. IPB, Desde 1859 orientando para a vida!

MISSÃO INTEGRAL DE DEUS

  A ideia de missões se acha em vários lugares na Bíblia.  Um exemplo disso é Genesis 12.3: “Em ti serão benditos todas as famílias da terra.” E em Salmo 96.10 está escrito, “Dizei entre as nações: Reina o Senhor! Ele firmou o mundo para que não se abale e julga as pessoas com equidade. ”Salmos 117.1, Isaias 49.7, Isaías 56.7 e Mateus 28.19-20 são um pouco das muitas referências sobre o aspecto missiológico do Reino de Deus. Mas a pratica de missões transculturais foi iniciada em Antioquia de Síria.  Esta pratica de missões está registrado em Atos 11.19-30 e Atos 12.24-25 e Atos 13.1-4.  Vamos examinar e ver as quatro coisas que aconteceram na Igreja de Antioquia pela “primeira vez” (pelo menos é a primeira vez que está registrada nas Escrituras). Na Igreja de Antioquia foi a primeira vez que os crentes evangelizaram um povo diferente. Deliberadamente tentaram comunicar o Evangelho às pessoas que não eram da raça e cultura judaica.  Em 11. 20 disse que, “...falavam também aos gregos, anunciando-lhes o evangelho do Senhor Jesus”.  Estes irmãos travessaram as barreiras de língua e cultura proclamando a verdade a um novo grupo de pessoas muito diferente dos Judeus. Na Igreja de Antioquia foi a primeira vez que os discípulos de Jesus foram chamados cristãos (11.26) Este povo se destacou por seu comportamento assumido.  Vestiram a camiseta de Cristo.  Não viveram isolados. Identificaram-se como diferentes dos outros, mas ainda eram ativos na cultura de Antioquia.  Assim a Igreja de Antioquia cresceu com muitos Judeus e muitos Gregos. Na Igreja de Antioquia pela primeira vez uma Igreja enviou socorro à outra Igreja (11.29-30).  Antioquia mandou socorro aos irmãos em Jerusalém.  Este ato mostra sua preocupação com as necessidades dos irmãos Judeus. É evidência da união dos cristãos, mesmo com língua e cultura diferente. Na Igreja de Antioquia, foi escolhida a primeira equipe de missionários para serem enviados a pregar o Evangelho em outros lugares (13.1-4). Assim, fazendo como Jesus fez em Marcos 1.38-39.  Em verdade foi o Espirito Santo que separou Barnabé e Saulo entre os profetas e mestres.  Eles foram designados os líderes da missão a Ásia (que hoje é o país Turquia). As lições para a Igreja hoje: Missões começam com nosso desejo de proclamar a verdade de Deus aos nossos vizinhos, mesmo aqueles que são diferentes de nós. Se nós assumirmos o fato de sermos servidores de Cristo, o mundo vai notar, tanto com zombarias quanto com aprovação. Os vizinhos vão reagir. Não existe separação entre a pregação e a compaixão.  A pessoa com o apelido de Cristão tem também a paixão de ajudar os necessitados. Examinando as Escrituras e refletindo sobre as ações da Igreja de Antioquia nosso coração começa a ser provocado com o desejo de ser obediente ao Salmo 96.10 e a Mateus 28.19-20 disponibilizando-nos para anunciar a Palavra de Deus para as nações. Mas eu lhe recomendo: Cuidado!  A ideia de missões é explosiva!  Você também pode ficar apaixonada por esta divina ideia! Pastor Henry M. Haswell, Jr.  

Onde está o tesouro da tua vida?

tesouros do coração Blog Ips(Mt 6.19-21) O que vem a sua mente quando você ouve a palavra “tesouro”? Um baú escondido? Algo de grande valor sentimental? Objeto de atenção e cuidado? Cristo em seu ministério, certa vez observando grande multidão que o seguia, resolve subir a um alto monte e dali passa a ensinar princípios para toda a vida. Percebendo o erro nas atitudes dos homens ele resolve conduzir o ser humano a uma jornada reflectiva rumo ao tesouro de cada um. Tratando do que poderia ser o tesouro mais valioso de cada indivíduo ele apresenta duas possibilidades para a guarda de tão valioso pertence. 1°) alguém poderia escolher guardar seu tesouro sobre a terra; 2°) alguém poderia escolher guardar seu tesouro no céu. Qual lugar te parece mais seguro? Façamos algumas ponderações: 1°) Guardar o tesouro na terra. Esta não parece ser a melhor opção. Embora muitas pessoas trabalhem arduamente para juntar riquezas neste mundo, as palavras de Cristo são bastantes claras: “Não acumuleis (...) tesouro sobre a terra”. Pesa contra a busca da riqueza com fim egoísta a proibição clara de Deus. O Senhor não é contra a riqueza em si, mas sim, contra a riqueza que é buscada com a motivação egoísta. A expressão de Mt 6.19 “sobre a terra” caracteriza a referida riqueza como algo pecaminoso. Portanto Deus proíbe tal comportamento. Riqueza sobre a terra é perecível. A traça e a ferrugem a consomem; minam e tiram o brilho “afugentando” seu valor. A riqueza que é buscada com um fim egoísta é frágil de mais. Podemos lembrar grandes reinos que surgiram, se engrandeceram e não permaneceram: egípcios, persas, babilônicos, gregos e etc. Definitivamente riquezas sobre a terra não duram, são perecíveis. Além disso, toda riqueza sobre a terra é inseguro: “Ladrões escavam e roubam”. Não é possível ter tranquilidade e sentir segurança com grandes valores num mundo onde por tão pouco se comete barbaridades contra a vida. Embora tudo isto seja verdades nos perguntamos: Como é possível o coração humano desejar sempre e cada vez mais, acumular riquezas sobre a terra desprezando a verdadeira riqueza que traz paz ao coração? A segunda possibilidade que Cristo nos apresenta quanto a guarda da riqueza é: 2°) Guardar o tesouro no céu. É o desejo de Deus para nossa vida. É a ordem do Senhor. O criador, conhecedor de todas as coisas e dono de tudo sabe o que é melhor para nós. O desejo dele sempre é o melhor a seguir. Quando Cristo ordena “ajuntai (...) tesouros no céu” ele está também caracterizando o tipo de riqueza que de fato devemos desejar, buscar e adquirir. Está riqueza é de conformidade aos princípios de Deus. De acordo com a passagem do jovem rico que vai ao encontro de Cristo ansiando pela salvação podemos perceber que nos princípios de Deus para a verdadeira riqueza inclui a vida coletiva. Deus exige de nós que vivamos de modo a considerar nosso semelhante a fim de lhe estender a mão sempre que for preciso (Mt 19.21). A busca de tal riqueza deve ser exercício de cada um de nós. Um tesouro celestial é permanente. Não se perde, nem nos é tirado. Além disso, embora venhamos a desfrutar parcialmente desta riqueza ainda nesta vida, grande parte dela está oculta em Deus como herança a ser recebida na glória (1Pe 1-3-5). Um tesouro celestial é seguro. Ele não se transforma, não perde seu valor jamais, é firme e invariável. Quando nosso tesouro está em deus podemos ficar seguros. Finalmente, Cristo nos mostra que o coração humano é a bússola para identificar onde está o tesouro pelo qual temos nos dedicado. Ele afirma: “porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.” (Mateus 6:21 RA). Nosso coração sempre estará envolvido com aquilo que damos maior valor. Sempre o ser humano investirá toda a sua dedicação naquilo que julga ser de grande importância. Podemos saber o que é correto. Podemos entender o que Deus espera que façamos. Mas no final das contas, na prática o lugar em que está o nosso coração é que vai revelar se nosso tesouro está nos prazeres deste mundo ou encharcado com os princípios de Deus para vida. Em que você tem investido seu tempo? Em que você tem dedicado o seu esforço? Com quem você tem se envolvido? A resposta a estas perguntas ajudarão você a descobrir qual de fato é o teu tesouro e onde ele está sendo guardado. Lembre-se: aquilo que o ser humano tem por mais valioso, é aí que dedicará sua atenção e esforço. Deus te abençoe. Pr. Éverton B. Pereira